29 abril 2020

Prémio Chan Zuckerberg Initiative

Investigador da Fundação Champalimaud recebe Prémio Chan Zuckerberg Initiative (CZI) para estudar como os sistemas imunológico e nervoso controlam a infeção pulmonar.

Prémio Chan Zuckerberg Initiative

Henrique Veiga-Fernandes, do Centro Champalimaud, é o primeiro investigador português a receber uma bolsa CZI. O projeto, selecionado no âmbito da bolsa Single-Cell Analysis of Inflammation, é composto por uma equipa de três reconhecidos investigadores que unirão esforços para desvendar as interações neuroimunes e as suas potenciais contribuições terapêuticas para a infeção e inflamação pulmonar.

Nos dias que correm, é frequente ouvirmos falar do sistema imunológico e como este luta contra a infeção das vias aéreas, em particular a causada pela SARS-COVID-2. Mas o sistema imunológico não está sozinho na luta contra a infeção. Na verdade, a resposta do organismo aos agentes patogénicos decorre da contínua interação entre o sistema imunológico e o sistema nervoso.

"O novo coronavírus tem uma elevada capacidade para infetar células nervosas, para além disso observou-se uma resposta imunológica pulmonar desajustada em doentes com COVID, o que se traduz em na gravidade da doença e no seu potencial risco de causar a morte", explica Henrique Veiga-Fernandes, co-diretor da Champalimaud Research e Investigador Principal do Laboratório de Imunofisiologia. "A descodificação de como os neurónios pulmonares dão instruções às células imunitárias, durante a infeção viral, fornecerá informação valiosa sobre a forma como esses dois sistemas podem cooperar no combate à infeção pulmonar, incluindo a gripe e a COVID-19".

Segundo o investigador, é sabido que a comunicação entre os sistemas imunológico e nervoso é crucial para controlar a resposta à infeção viral e bacteriana, à inflamação e conservação da saúde dos tecidos. No entanto, a linguagem através da qual esses sistemas comunicam entre si é pouco compreendida.

Para esclarecer os processos envolvidos, Veiga-Fernandes uniu esforços com os investigadores Isaac Chiu e Stephen Liberles, ambos da Harvard Medical School, nos EUA. Juntos, pretendem analisar este problema complexo, combinando a sua vasta experiência nas áreas da imunologia e da neurociência.

Na última década, o laboratório de Henrique Veiga-Fernandes foi pioneiro na realização de trabalhos inovadores sobre o diálogo que se estabelece entre os sistemas nervoso e imunitário, tanto em situações fisiológicas, como de doença. Neste projeto colaborativo, o seu laboratório irá contribuir com uma abordagem imunológica de vanguarda, com o amplo conhecimento acerca dos processos imunológicos que ocorrem nos pulmões bem como com a sua experiência no desenvolvimento e aplicação de tecnologia inovadora.

Os membros da equipa da Harvard Medical School, trarão para este ambicioso projeto os seus conhecimentos e abordagens numa perspetiva de complementaridade. Como explica Henrique Veiga-Fernandes, "o Dr. Chiu é especialista em neuroimunologia e investiga a interação entre os neurónios e as células imunológicas nos pulmões e na pele. Já o laboratório do Dr. Liberles está mais focado na neurociência, particularmente em como o sistema nervoso é capaz de sentir o que acontece nos órgãos internos, como o intestino".

A essência deste projeto baseia-se numa abordagem denominada “Kindle Intercellular Signals and Synapses” (KISS), recentemente desenvolvida pelo Laboratório de Henrique Veiga-Fernandes para decifrar o código da linguagem neuro-imune em contexto de infeção e inflamação pulmonar. Esta tecnologia "Made in Portugal" e que já atraiu a atenção da Fundação Paul Allen (EUA), será utilizada para definir quando, como e onde os neurónios pulmonares e as células do sistema imunológico interagem de forma estreita. "Pela primeira vez, poderemos visualizar a coreografia de infeções pulmonares complexas e como os sistemas nervoso e imunológico se relacionam para resolver essas doenças", acrescenta Veiga-Fernandes.

A equipa acredita que este projeto foi selecionado pela CZI no âmbito da bolsa Single-Cell Analysis of Inflammation, devido ao potencial impacto em estudos moleculares e funcionais das interações genéricas célula-célula, e porque desvendará toda uma nova camada de conhecimento acerca de como este diálogo neuroimune controla a integridade dos tecidos em infeções e doenças inflamatórias que têm, atualmente, opções limitadas de tratamento.

"Saber mais sobre a inflamação ao nível das células e dos tecidos afetados aumentará a nossa compreensão acerca de muitas doenças e melhorará a nossa capacidade de as curar, prevenir ou gerir", afirmou a Diretora Científica da CZI, Cori Bargmann. "Estamos ansiosos por colaborar com estas equipas interdisciplinares de investigadores que estudam a inflamação".

Sobre a Iniciativa Chan Zuckerberg

Fundada pela Dra. Priscilla Chan e Mark Zuckerberg em 2015, a Chan Zuckerberg Initiative (CZI) representa um novo tipo de filantropia que aposta na tecnologia para ajudar a resolver alguns dos mais difíceis desafios do mundo - desde erradicar doenças, melhorar a educação e reformar o sistema de justiça criminal. Com três áreas principais de atuação - Ciência, Educação, Justiça & Oportunidade - apostam desde a engenharia à atribuição de bolsas, do investimento de impacto às políticas de sensibilização para ajudar a construir um futuro inclusivo, justo e saudável para todos. Para mais informações, visite www.chanzuckerberg.com.